Consumo Consciente

O que vai para o lixo, é lixo?

Será que tudo o que vai para o lixo, é realmente lixo?

Em uma sociedade capitalista, vivemos jogando fora produtos que poderiam facilmente ser reaproveitados ou consertados, porque normalmente o preço de um novo fica mais “em conta” do que consertar ou reaproveitar o antigo.  Empresas de eletrodomésticos fabricam as peças com tempo curto de vida; os móveis são fabricados com materiais fracos para quebrarem e serem substituídos em um curto prazo, celulares novos são lançados a cada seis meses, sem um programa correto de descarte para os antigos.  Todos esses exemplos favorecem o descarte rápido e fácil de materiais, e o aumento do consumo.

Segundo o site Politize, o consumismo se caracteriza por: ação de comprar excessivamente e sem necessidade, sendo motivada por impulso ou desejo de comprar. Esse é considerado um comportamento destrutivo que impacta em diversos aspectos da vida cotidiana. O consumismo é diferente do consumo, que é caracterizado pela ação de realizar compras necessárias – como água e alimentação. A onda de consumismo é muito presente em sociedades modernas capitalistas e tem se mostrado um reflexo da globalização e da mídia, como veremos adiante.

Um bom exemplo mundial de cultura consumista  são os norte-americanos. Eles descartam facilmente as coisas, como móveis, eletrodomésticos, celulares e até mesmo roupas. Muitos brasileiros ou pessoas de outros países que moram lá fazem a festa quando encontram algum objeto dando bandeira por aí.

Continua após a publicidade

Em um perfil do instagram, a nordestina Swhany Rocha (@oficial.sw) que trabalha como faxineira em Boston – MA, posta sobre a rotina pelos EUA e ainda mostra as peças e objetos que encontra pela cidade ou que os clientes dela iriam jogar fora. Com vídeos que batem mais de 1 milhão de visualizações, a nordestina compartilha os achadinhos. Panelas, porta-joias, air fryer, decoração, babyliss, alexa, ar-condicionado e até mesmo roupa. Tudo em perfeito estado e alguns até mesmo sem uso. 

https://www.instagram.com/reel/CbIRU0oAWcj/

Já aqui no Brasil as coisas são diferentes.  Quando encontramos móveis ou eletrodomésticos na rua, geralmente estão quebrados e “inutilizáveis”. Mas mesmo assim, a artista Daiani Oficial (@daianioficial) mostra que é possível sim reutilizar, já que ela transforma tudo o que encontra por aí. Com mais de cinco milhões de visualizações nas redes, a moça compartilha as transformações que faz em objetos que encontra na rua. Armários reformados, gaveta que se transformou em penteadeira,  eletrodomésticos sujos são limpos e ficam novinhos. A própria cabeceira de cama da Daiani foi construída inteiramente com paletes que ela encontrou e um armarinho do banheiro com uma gaveta de guarda-roupa. 

https://www.instagram.com/p/CbFqWV2Abdk/

No tiktok temos outro exemplo de pessoas que reaproveitam o lixo. Infelizmente nesse caso a história é triste, pois Isaías Luz (@isaiasvlogs), dono do perfil, é um menino humilde e que não tem condições financeiras para comprar coisas básicas, como roupas e calçados. Nos vídeos ele compartilha os achados nos lixos. 

Continua após a publicidade

O menino já encontrou comida, tênis, roupas, bolsas e até materiais escolares, como tintas e pincéis. Ele fica impressionado com o que jogam fora e fala abertamente sobre poder utilizar as coisas que encontra após limpar e lavar. 

Inspiradas nestes exemplos, nós da ciclou resolvemos reaproveitar também. Algumas peças da nossa coleção Colcha de Retalhos foram feitas com uma colcha que encontramos no lixo. Lavamos, secamos, perfumamos e mandamos para a nossa base de artesãos que brilhantemente fizeram lindas mochilas afetivas. As peças são únicas, feitas com a colcha encontrada,  retalhos de resíduos têxteis que seriam descartados da indústria, e também com outras peças da colcha de piquet da Jana, que foram devidamente ressignificadas. Tudo isso pra incentivar pessoas a ciclarem suas peças antes de jogar no lixo, principalmente aquelas com valor sentimental atrelado.

Com a técnica de upcycling é possível transformar, reutilizar, ressignificar e prolongar a vida útil de roupas, acessórios, móveis e objetos em geral e ainda possuir produtos únicos e diferenciados, feitos de forma personalizada.

Se você tiver alguma peça que tenha condições de ser reaproveitada e não tiver habilidade artesanal para transformá-la em algo legal, confira nossos serviços de transformação aqui.

Se você está sempre em busca de uma vida mais sustentável e conectada com o meio ambiente, aproveite para acompanhar o blog da ciclou e nossas redes sociais!

Você também pode se interessar: